Em relação à música árabe, a escala de oito notas pode ser construída, para fins didáticos, por grupos menores de 3, 4 ou 5 notas, chamados jins ( pl. ajnas).

JINS (pl. AJNAS): grupos de 3, 4 ou 5 notas que vão compor

MAQAM (pl. MAQAMAT): modo ou escala, constituído por

um ou mais ajnas

JINS é o gênero ou natureza de algo. É uma sequência de notas que possui distâncias específicas entre elas. Ao contrário das escalas ocidentais, há muitas possibilidades em relação ao tamanho do intervalo entre as notas.

O jins principal determina a família à qual pertence a maqam e dá nome à escala.

As ajnas mais comuns estão listadas abaixo, mas existem outras:

Trichords

Ajam, Jiharkah, Sikah, Mustaar

Tetrachords

Bayati, Busalik, Hijaz, Kurd, Nahawand, Rast, Saba, Zamzama

Pentachords

Athar Kurd, Nawa Athar

Ao tomar como exemplo o jins Bayati, bastante utilizado na música árabe, vê-se que são estabelecidos intervalos de ¾, ¾ e 1 tom entre as notas que o compõem:

 

Imagem música

A sequência, chamada de Bayati Ré (por ser iniciada na nota Ré), deve ser tocada de uma forma diferente se começar em outra nota, mesmo tendo os mesmos intervalos. A forma de tratar o microtom varia de uma escala para outra.

MAQAM tem o significado próximo ao da escala ocidental, mas vai além dela. Define também as relações entre as notas: quais devem ser enfatizadas naquele caso, com que frequência, em qual ordem. Ou seja, não define apenas as notas, mas comotocá-las.

É formado pelos ajnas que, conforme sua disposição, criam novas maqamat. Existem diversas maqamat, que variam de uma região a outra.

Abaixo está a “bússola” das maqamat, onde cada espaço corresponde a uma combinação de notas:

Untitled2

O número das maqamat mais usadas fica por volta de 30 ou 40, que são conhecidos por músicos de várias regiões e costumam ser usados pelas orquestras orientais em todo o mundo. Abaixo a lista dos maqamat mais comuns em ordem alfabética:

Ajam

Athar Kurd

Bastanikar

Bayati

Bayati Shuri

Farahfaza

Hijaz

Hijaz Kar

Hijaz Kar Kurd

Husseini

Huzam

Iraq

Jiharkah

Kurd

Mahur

Mustaar

Nahawand

Nahawand Murassah

Nairuz

Nawa Athar

Nikriz

Rahat El Arwah

Rast

Saba

Saba Zamzam

Shadd Araban

Shahnaz

Shawq Afza

Sikah

Sikah Baladi

Suzidil

Suznak

Ushaq Masri

Yakah

Zanjaran

Conheça as maqamat mais utilizadas na Síria.

Maqamat mais usadas na Síria

O meio mais usado de agrupar maqamat é pelo primeiro jins, resultando em 9 grupos:

Ajam

Ajam, Jiharkah, Shawq Afza

Sikah

Bastanikar, Huzam, Iraq, Mustaar, Rahat El Arwah, Sikah, Sikah Baladi

Bayati

Bayati, Bayati Shuri, Husseini

Nahawand

Farahfaza, Nahawand, Nahawand Murassah, Ushaq Masri

Rast

Mahur, Nairuz, Rast, Suznak, Yakah

Hijaz

Hijaz, Hijaz Kar, Shadd Araban, Shahnaz, Suzidil, Zanjaran

Saba

Saba, Saba Zamzam

Kurd

Kurd, Hijaz Kar Kurd

Nawa Athar

Athar Kurd, Nawa Athar, Nikriz

♦ O improviso ♦ Uma das principais funções do improviso é preparar a audição para o que virá como peça principal. Fazendo proveito da articulação ou modificação de motivos e frases contidas em sua memória, o executante cria, dentro do que compete a um determinado modo com sua escala musical e derivadas, um discurso de momento, nunca sendo previamente escrito. Cabe lembrar que o improviso não é a prática do non-sense. É somente a partir de um grande repertório de obras, inclusive folclóricas, memorizadas e bem interiorizadas que o músico se aventura na arte do improviso. Esse repertório é o verdadeiro banco de dados do profissional, a sua matéria prima geradora. Ao transformar ou variar esse material, o instrumentista deve exibir capacidade criativa, sentimento e eloquência. A pertinência estilística não deve fugir da mente.

Conheça mais sobre os instrumentos musicais árabes

Buzuk©Edouard_Fraipont