kant

Livro: Os Últimos Dias de Imannuel Kant

Autor: Thomas de Quincey

Epígrafe

“Tal como Lorde Bacon, ele nutria, de fato, um amor infantil pelos pássaros em geral; e, em particular, dava-se ao trabalho de encorajar os pardais a fazerem seus ninhos na parte superior das janelas de sua casa de estudo.”

 Sinopse

“Imaginar um leitor totalmente indiferente a Kant é imaginar um leitor muito pouco intelectualizado; e, portanto, na realidade, embora possa ocorrer que ele não o veja com interesse, faz parte da farsa da cortesia fingir que sim.” A malícia provocativa dessas palavras iniciais já é um alerta: não estamos diante de uma biografia nem de um biógrafo convencionais, ao abrirmos as páginas de Os Últimos Dias de Immanuel Kant.

Neste livro fascinante, vemos o massacre silencioso e inevitável da velhice: a perda de memória, audição e visão se abatendo sobre um dos maiores gênios de todos os tempos.

Comentário sobre o autor

Thomas de Quincey foi um helenista precoce e erudito. Além de The Confessions of an English Opium-Eater, sua principal obra, de Quincey escreveu sobre diversos temas: filosofia, lendas alemãs, economia, política, história e crítica literária.