bibliotecario

 

Livro: O bibliotecário do imperador, de Marco Lucchesi

Epígrafe

“A espessura do infinito devia abranger o volume do mundo e o olhar sensível do leitor, este pequeno deus que infunde vida aos livros, mediante o sopro adâmico da leitura”.

Resumo

‘O bibliotecário do imperador’ não é um romance histórico típico. A narrativa muito ágil e cheia de referências funciona como um jogo, em que personagens reais, como Ignácio e Pedro II, se misturam a figuras fictícias, como o barão de Jurujuba. O leitor é convidado a percorrer um fluxo de muitas vozes, no qual é tão difícil quanto fascinante discernir o que é dado real e o que é ficção.

Autor

Marco Americo Lucchesi nascido no Rio de Janeiro em 1963 é poeta, escritor, romancista, ensaísta e tradutor brasileiro, membro da Academia Brasileira de Letras desde 2011. Graduado em história pela Universidade Federal Fluminense (UFF), é mestre e doutor em literatura, pela UFRJ. É pesquisador do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e professor visitante de diversas universidades da Europa, da Ásia e América Latina. Foi editor de obras raras da Biblioteca Nacional. Destacou-se também na área de pesquisa e editoração da Biblioteca Nacional, responsável pela edição de catálogos e fac-símiles. Obteve por duas vezes o Prêmio Jabuti. Recebeu também o Prêmio Alceu Amoroso Lima, pelo conjunto da obra poética (2008), o prêmio Marin Sorescu, na Romênia e o Prêmio do Ministero dei Beni Culturali da Itália.