Entidade promove diversas atividades para auxiliá-los em seu estabelecimento no País e articula ações com a sociedade civil a fim de propagar a cultura de paz

Ontem, 25 de junho, foi o Dia do Imigrante no Brasil, data comemorativa criada com o intuito de lembrar os sacrifícios feitos por essa parte da população que abre mão de familiares, amigos e de tudo o que construiu em seu país de origem para transmigrar e, com isso, levar todo um conjunto de conhecimentos, costumes e contribuições ao local que os acolhe.

A Bibli-ASPA, centro de cultura e pesquisa que promove a reflexão sobre os povos africanos, árabes e sul-americanos, reconhece e homenageia todos os imigrantes residentes no País.

Além de seu trabalho sério com refugiados, reconhecido por importantes entidades nacionais e internacionais, como a Organização das Nações Unidas (ONU), a Bibli-ASPA também atende e apoia diversos imigrantes, dentre eles pessoas em situação análoga ao refúgio.

São mais de 300 estrangeiros que frequentam a entidade semanalmente em busca de aulas de língua portuguesa e cultura brasileira, de auxílio jurídico, psicológico, alimentício e para transporte, de acompanhamentos a órgãos públicos e hospitais, de cursos de aprimoramento profissional, dentre outros serviços.

Atualmente, existe uma crise migratória sem parâmetros e ainda maior que a vivenciada durante e após a Segunda Guerra Mundial. O aumento de perseguições políticas, religiosas e ideológicas, da miséria, da pobreza, dentre outros problemas que fazem com que as pessoas procurem melhores perspectivas de vida em outros países, refletem diretamente na elevação do número de migrantes no planeta. Segundo a  Agência da ONU para Refugiados (Acnur), em 2016, cerca de 65 milhões de pessoas foram forçadas a se deslocar no mundo todo.

Diante dessa realidade, é preciso que os países se adaptem para conseguir acolher as vítimas, sem prejudicar os direitos dos cidadãos que já habitam os lugares de destino desses imigrantes. E isso é possível! Contudo, a promoção de conversas sobre o assunto é cada vez mais barrada pelos discursos de ódio, intolerância e preconceitos disseminados e aceitos sem nenhum fundamento.

Esses discursos cresceram ainda mais após a sanção da nova Lei de Migração no Brasil, que representou um avanço, já que o Estatuto do Estrangeiro, substituído por ela, foi criado durante a Ditadura Militar com a finalidade de impor limites ferrenhos condizentes àquela realidade autoritária.

Veja a discussão sobre essa lei e de que forma ela afeta os refugiados 

Nesse cenário, além de prestar ajuda aos imigrantes e refugiados, a Bibli-ASPA também articula ações com a sociedade civil para a conscientização sobre esse tema, que precisa ser urgentemente discutido, a fim de que balizas sejam postas no sentido de encaminhar mudanças positivas concretas em relação à migração.

Então, com o intuito de comemorar o Dia do Imigrante, além de homenageá-los e reconhecer os seus esforços, a entidade também convida toda a sociedade brasileira para conhecer melhor essa questão da atualidade, a fim de entender por que é preciso buscar políticas públicas que tragam soluções acolhedoras a esses estrangeiros, que não representam um perigo, mas podem colaborar, e muito, para levar avanços aos países.

Previous PostNext Post
%d blogueiros gostam disto: